Lar

12525705183802235_u6zfbj1w_c_large

 

Everybody wants something, just a little more
We’re makin’ a living and what we’re livin for?
A rich man or a poor man, a pawn or a king
You can live on the street, you can rule the whole world
But you don’t mean one damn thing

É, eu sei. Eu sei que por vezes esperar é um saco. Eu sei que por vezes o “melhor que nada” se assemelha ao placebo que se toma e engana o organismo esperando surtir o efeito de é “suficiente” quando na verdade o “melhor que nada” é sentido como nada mesmo.

É, eu sei. Eu sei que por vezes desistir de algo parece a melhor opção, a mais certa, a mais covardemente fácil – sendo que provavelmente nada a respeito do assunto seja tão fácil assim – e você até tenta desistir, mas acaba percebendo que mais difícil do que ir embora é conviver com a ideia de potencialmente abrir mão daquilo que você sempre quis na vida porque você preferiu acreditar naqueles 50% de chance de tudo dar errado esquecendo que do outro lado da corda bamba estão os 50% de chance de tudo acabar maravilhosamente bem.

Eu entendo que as pessoas entram e saem da nossa vida deixando marcas e que algumas delas, pelo menos uma, ocupa o lugar mais confortável do seu coração. Essa pessoa pode ser a mesma que deixa uma sensação de “e se”, um pulsar de assunto inacabado ou não propriamente começado e só de ouvir falar dessa pessoa é como se um gatilho disparasse em você um milhão de sensações e pensamentos, te fazendo ir em várias direções dentro de si mesmo e quando você tenta descrever você não consegue, palavras são inúteis. A vastidão de palavras não dá conta de descrever o que se passa dentro de você. E quer saber? Isso é estar vivo.

What do you got, if you ain’t got love
Whatever you got, it just ain’t enough
You’re walkin’ the road, but you’re goin’ nowhere
You’re tryin’ to find your way home, but there’s no one there
Who do you hold in the dark of night?
You wanna give up, but it’s worth the fight
You have all the things, that you’ve been dreamin’ of

A sensação de “e se” pode virar “foi assim” se você der tempo ao tempo. O assunto inacabado pode acabar, de um jeito ou de outro, se você der tempo ao tempo. Quanto tempo? Ninguém sabe, mas com certeza se você desistir agora você jamais descobrirá o que tem atrás dessa porta. Tudo o que você mais quer na vida pode estar a um dia, a um mês, a um ano de você. A escolha de permanecer se achar que vale a pena é sua. Esperar pode ser bom e você pode entender isso até como um “conhece-te a ti mesmo”, descobrir suas reais vontades, quem realmente importa, com o que você realmente se importa e o que é grande em seu coração e o que já não faz mais tanto sentido assim.

Eu sei, eu sei… Eu sei por vezes parece que você tem pernas curtas demais para saltar de um lado a outro deixando seu coração e sua cabeça no mesmo compasso. Mas sabe, se você tiver que dar três, quatro, cinco passos para trás para tentar pular, dê. Retroceder não significa parar de todo, significa avaliar melhor a situação para decidir seguir em frente ou não. O medo aqui só pode ser um: o de não seguir a sua maior vontade, não o de não tentar. Nenhuma perna é curta demais se no meio do caminho você descobre uma vara que te torne um saltador em altura habilidoso ou se você descobre uma outra forma, mais segura, de atravessar tudo isso. E eu tenho certeza que olhando tudo de longe alguma coisa em você vai mudar.

Se for para correr e tentar passar para o outro lado, a saudade vai doer, a necessidade da presença vai gritar, a necessidade de encarar um novo desafio, seja pessoal, seja profissional, vai falar mais alto do que o comodismo da situação já conhecida ou que a conformidade vivenciada dia após dia. Se for para dar meia volta, a necessidade de restabelecer o status quo, de fazer o que você já vive dar certo, de se empenhar mais no que você estiver fazendo vai falar mais alto do que aquela vozinha que te diz para tentar algo novo. No final das contas, você saberá como agir.

If you ain’t got someone, you’re afraid to lose
Everybody needs just one, someone… to tell them the truth
Maybe I’m a dreamer, but I still believe
I believe in hope, I believe the change can get us off of our knees

Lugares favoritos não são muitas vezes feitos de paredes; são muitas vezes feitos daquela sensação de proteção que temos ao estarmos com quem nos inspira confiança. Lugares favoritos muitas vezes não são como a Torre Eiffel ou a Estátua da Liberdade; são como estar no meio de um certo abraço, de uma certa pessoa ou estar no local que você sente ser “o seu lugar”. Se pergunte se você tem esse lugar. Se você está feliz com todos os aspectos da sua vida. Se quem você abraça é quem você quer realmente abraçar, se quem você beija é quem você realmente quer beijar, se o seu trabalho é realmente o que te realiza… Se não for, se pergunte o que você ganha fazendo tudo isso sem amor. Se obtiver uma resposta, apenas se assegure de que ela não seja aquele placebo…

If you ain’t got love, it’s all just keeping score
If you ain’t got love, what the hell we doin’ it for?*

Eu sei. Eu sei que é difícil enfrentar os problemas e as situações de frente mas se você ainda perdesse calorias fugindo delas isso valeria de algo. Mas você não perde calorias, você só perde tempo porque tudo isso sempre te alcança. Também sei que se a gente prestar atenção, a gente sabe sempre o que fazer. Tudo na vida tem uma consequência, algumas mais fáceis de lidar do que outras. Mas se você não faz o que faz com amor, por que raios você faz?

Esteja onde estiver

Esteja com quem estiver

Esteja com quem ou o que te faz ter a sensação de estar em casa.

Porque é como dizem, não há nada como o nosso lar.

*Bon Jovi – What Do You Got?

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Contos, Divagações, Pessoal

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s