Amar é…

We-Heart-It

“People think a soul mate is your perfect fit, and that’s what everyone wants. But a true soul mate is a mirror, the person who shows you everything that is holding you back, the person who brings you to your own attention so you can change your life. A true soul mate is probably the most important person you’ll ever meet, because they tear down your walls and smack you awake. But to live with a soul mate forever? Nah. Too painful. Soul mates, they come into your life just to reveal another layer of yourself to you, and then leave. A soul mates purpose is to shake you up, tear apart your ego a little bit, show you your obstacles and addictions, break your heart open so new light can get in, make you so desperate and out of control that you have to transform your life, then introduce you to your spiritual master…”

― Elizabeth Gilbert, Eat, Pray, Love

Não é fácil falar sobre o amor. Não é fácil viver o amor. O amor que você nem sabe que é amor de verdade até que ele se vá; amor que não era amor, era solidão, medo de ficar sozinho e acabou fazendo com que você se apegasse a primeira oportunidade de “para todo sempre, amém” que apareceu. Amor que era mais que amor, como diria Poe, daqueles que atravessam oceanos a nado, – cuidado aqui pois o seu amor por alguém pode atravessar o Atlântico a nado mas o destinatário dos seus sentimentos pode não pular nem uma poça d’água por você.

Amor, facilmente confundível com a atenção dispensada a alguém que supre a inevitável solidão que todos vivemos em algum momento da vida. Carência. Sentimento que se esvai quando se descobre que atenção dispensada de forma livre e espontânea acaba virando demanda, acaba virando obrigação e você já não sabe mais se um dia amou de verdade ou se era carência ou medo de um futuro a um. Com certeza algum “eu te amo” dito aqui valeu a pena… Mas provavelmente não era amor.

Mesmo que não seja conhecida por todos aquela lenda oriental do fio vermelho amarrado ou no dedo ou no tornozelo daqueles que estão destinados a se encontrar pelos caminhos da vida, aconteça o que acontecer, a verdade é que encontros e desencontros fazem parte da nossa existência. Pessoas entram e saem das nossas vidas a todo momento, o que muda é a razão. E você se pergunta, muitas vezes “por que essa pessoa apareceu no meu caminho?” ou “por que eu fui obrigado a ir embora quando tudo o que eu mais queria era ficar?”.

E no fundo, no fundo, a resposta para a primeira pergunta está no fio vermelho dos orientais, no destino, nas leis divinas ou no acaso e a resposta para a segunda pergunta está no fundo do armário, amassada no meio de uns papeis que você jogou ali “para arrumar depois” e fica se enrolando para não fazer o que precisa fazer porque é cansativo, é chato, dá trabalho.

Nem todo mundo tem o sonho de casar com toda aquela pompa e circunstância ou mesmo de casar mas garanto que todo mundo tem vontade de ser feliz a dois. Ser feliz a um é parte fundamental da felicidade em dupla, mas, para isso, precisamos entender que nem tudo está sob nosso controle… A bem da verdade, a maioria das coisas que realmente importam não estão. O amor não está.

É claro que temos escolhas na vida. É claro que abrimos e fechamos portas conforme nossa vontade ou conveniência. Mas às vezes, num desses dias normais que vivemos, corremos e colocamos o braço na porta do elevador, sem outro propósito além de aproveitar que ele está ali no andar e você não tem que esperar ele subir ou descer de novo – fora o fato de ter sempre um inconveniente que fica com a porta aberta mais tempo do que o necessário atrasando a sua vida.

E você entra nesse elevador e vê que nele tem um espelho. E você fica abismado porque nunca viu um espelho que te mostrasse como você é de verdade tão bem quanto esse espelho desse elevador. E você passa a notar coisas que nem imaginava que tinha ou era. E nota também que não importa para onde você olhe, o espelho nunca desiste de te mostrar o seu melhor eu; não tem um lado dele que te engorde mais, te emagreça mais, te deixe maior ou menor. Ele é fiel ao que reflete. Sempre fiel.

O elevador que você correu e enfiou o braço para a porta não fechar, entrou e se maravilhou com o espelho também é um elevador que correu, enfiou o braço para a porta não fechar, entrou e se maravilhou com o espelho; é a sua alma gêmea. É a pessoa para a qual você olha e se enxerga, é quem faz com que você se veja com os olhos de bondade, ternura e amor que você provavelmente nunca se olhou numa exigência absurda de justificar seu eu com os seus defeitos e não reconhecer seus acertos.

Almas gêmeas se reconhecem e não, isso não é balela. Você sabe quando encontra a sua porque não importa se estão juntos há 1 minuto ou há 10 anos, parece que o tempo para vocês não passa igual como passa para as outras pessoas. 5 semanas parecem 5 meses. 5 meses parecem 5 anos. Cada dia parece uma eternidade. Você vive a plenitude da vida sem a menor cerimônia, você não liga de sentar no chão mesmo que ele esteja meio sujo; já que sentou, faz um pic-nic. Você não liga de resolver parar na praia depois de ter ido jantar e andar na areia de sapato; você aproveita e senta na areia e olha o mar, escuta as ondas e sente que a sua companhia vem logo em seguida jogando um casaco nas suas costas, trazendo os braços que te envolvem para que fiquem ali, sentindo a benção da vida em cheiro de maresia.

O amor é muito mais do que ter afinidade com alguém, é muito mais do que “eu te amo” que depois de um tempo fica mecânico; amor é cumplicidade. Amor é se sentir eternamente chegando em casa, se jogando num daqueles puffs gigantescos e aconchegantes e contando como foi eu dia e o que te aflige para o seu melhor amigo, pessoa realmente interessada em te ouvir, aconselhar, ajudar, não a te julgar ou ver defeito em tudo o que você faz. Nem sempre os dias serão fáceis, mas com certeza em todos os que houverem dificuldades você não dorme sem antes resolver a história porque dormir “bunda com bunda” é para quem não está mais nem aí para o que anda acontecendo.

O amor não dá espaço para o orgulho idiota que te impede de pedir desculpas e dizer que errou ou que te impede de aceitar desculpas ao ouvir que o outro errou. O amor não dá espaço para o desprezo pelo o que o outro gosta mesmo quando não é muito do seu estilo porque o amor sabe que é importante para o outro então que se faz o outro feliz, faz você feliz também. O amor não dá espaço para o medo que te faz medir palavras antes de falar sobre algo ou que faz guardar para si coisas porque o outro não entenderia ou porque você acha que seria julgado ao invés de ser compreendido.

O amor que é mais que amor faz com que você se enxergue pelos olhos daquele que te ama. Faz com que o melhor em você resplandeça e que o que precisa ser organizado, seja. Te dá coragem. Te faz olhar o horizonte sabendo que tem algo lá no final que faz com que a jornada valha a pena. O amor mais que amor é o que uma alma gêmea sente pela outra depois de 60 anos de casados vivendo como se estivessem nos primeiros dias da lua de mel.

Por que da citação no começo do texto? Porque muito embora eu concorde com a parte do que é a alma gêmea e do que ela faz por você, eu não consigo acreditar que seja doloroso viver com ela para sempre. O amor da sua vida é geralmente uma escolha; a sua alma gêmea, não. O que não significa que ambos não possam estar na mesma pessoa e essa pessoa não possa estar do seu lado agora. A maior bênção da vida é ter alguém nela que faça com que você entenda porque antes as coisas não deram certo e porque foi tão importante você passar por tudo o que passou até chegar no mesmo balcão que ela numa cafeteria qualquer e os dois pedirem um café preto, forte, ao mesmo tempo, para o mesmo atendente, que fica com cara de espantado olhando os dois enquanto os dois se entreolham e sorriem, despertando o coração um do outro do coma em que estavam, induzidos a isso ou não.

Acontece de almas gêmeas se acharem na vida e não ficarem juntas por uma infinidade de razões que por vezes não têm solução. Acontece de amores só darem certo 50 anos depois do primeiro oi e de toda noite de lua cheia ambos tamparem a lua com o dedão porque lembraram da promessa de que a lua seria sempre a mesma independentemente de onde estivessem e de quando fosse. Acontece de “para sempre, amém” não ser um para sempre; ser, na verdade, uma etapa antes do “para sempre e sempre, amém” se você permitir que assim seja. Amor é tão sublime que te faz pensar que viver sem amar e ser amado é das piores heresias que se pode cometer. E é das piores maldades que se pode fazer a si mesmo.

O amor é uma conquista, é uma luta diária e você participa ativamente dos rumos que cada minuto toma. O amor é o sorriso que você sabe que é só seu, é aquele olhar bobo enquanto você fala com alguém… É a certeza de que quem você abraça é o seu lar. É o seu começo, meio e final feliz. Amar mais que o amor. Poucos sabem o que é isso, o que é sentir que “eu te amo” fica pequeno para tanto sentimento. Se você sabe o que é isso, você sabe que encontrou a sua alma gêmea. E assusta, mesmo. Mas é sinal de que é algo tão precioso que você encontrou o pote de ouro no final do arco-íris.

Que você seja o pote de ouro de alguém.

Que alguém seja o seu pote de ouro.

E que vocês sejam, um do outro, para todo o sempre.

Amém.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Citações, Contos, Divagações, Romance

2 Respostas para “Amar é…

  1. Pingback: Texto Novo – 4everglow

  2. Pingback: Muito obrigada! | A garota do rímel borrado

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s