Arquivo do autor:Amandinha R.

Sobre Amandinha R.

Sempre em busca do melhor! Advogada, concurseira, aspirante a escritora, amiga, espontânea, inteligente, divertida, irônica, sincera. Sou uma crítica sarcástica. Às vezes posso tecer comentários ácidos, bem como ser severa e perspicaz. Apaixonada pela vida, meus queridos amigos, Direito, moda, maquiagem, cores e cultura! Acredito que dançar a sua música favorita salve a sua alma! Gosto do complexo, analisar as situações, observar os comportamentos das pessoas, costumo falar tudo que penso e defendo minhas crenças! Confesso que bem lá no fundo sou uma romântica, desde que você prometa manter esse segredo porque não me compreender totalmente é normal. Acompanhe-me se você for capaz de tentar me compreender!

Reflexões de um novo recomeço

me

Por questões pessoais e profissionais não tinha um tempo disponível para escrever por aqui. Confesso a falta que me fez em divagar por aqui. Morro de saudades dos textos da minha querida amiga Charlotte mais conhecida como Michelle.
Com a proximidade do meu aniversário (nesta terça-feira agora), precisava muito estar em contato com as palavras que insistem em me rondar.
Todo ano me proponho a refletir sobre o que fiz no último ano, quais objetivos foram concretizados e quais foram deixados de lado, o que eu ainda preciso melhorar (sou uma constante questionadora).
De 2016 para cá, fiz coisas impensáveis até então fui ao um show totalmente sozinha (tudo bem que era do Ed Sheeran) e me diverti horrores, melhorei muito no quesito organização, estou tentando cuidar mais do meu corpo que sentiu os efeitos do meu relapso, ler o que me dá prazer e não somente a assuntos ligados com os estudos e a minha profissão, reduzi drasticamente meu círculo de amigos (continuo com aqueles que posso confiar, chorar e rir litros), viajar para lugares que adoraria conhecer, ser menos workhaholic, aproveitar para relaxar mais, pasmem até fazer atividade física diariamente (uma das metas mais desafiadoras para mim), ser menos dura com quem se importa.
Por enquanto não completei totalmente a minha lista. E vocês? O que vocês pretendem atingir no seu próximo ano?
Continuar lendo

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Divagações, Pessoal, Vícios

Gentileza nunca é demais

IMG_7665

Não acredito que a felicidade esteja reduzida a ser encaixada nos padrões da sociedade, em especial, quanto ao seu “status de relacionamento”: a minha felicidade é estudar muito, me divertir lendo desde os best-sellers aos clássicos (sim, sou nerd!), fazer maratonas no Netflix nos finais de semana confortavelmente no meu sofá, mas não recuso uma ida ao cinema, dançar sempre que possível, sair com amigos, de vez em quando aproveitar Junkie food, deixar os outros serem quem são e viver como quiserem.
Há tanta intolerância que atualmente é mais fácil julgar e tentar impor a sua visão ao mundo do que compreender o outro e a respeitá-lo por isso.
Posso não concordar com tudo e com todos sempre, mas posso ouvir e relevar sua opinião. Muitas vezes, confesso que tento deixar para lá porque praticamente hoje tudo é polemizado e estigmatizado. 
Ter livre acesso à internet e por consequência às redes sociais, não lhe dá o direito de expressar suas opiniões, batendo o martelo na vida e determinado como ela deveria ser para a coletividade. 
É difícil aprender com o diferente da gente, a ouvir, a observar e defender seu ponto de vista sem querer definitivamente imprimir-se como o melhor. Raramente haverão unanimidades. Nada é eterno, a vida é efêmera que está em constante mudanças, adaptando-se à realidade imposta.
Devemos desacelerar, tentar-se afastar da nossa severa verdade para enxergar o respeito, a Justiça e a dignidade que estão encobertas pela nebulosa aparência: quantas vezes postamos algo feliz para esconder a tristeza ou ainda fazemos posse escondendo o choro pelos cantos?!
Nem sempre há tempo para esconder que o rímel está borrado ou muito menos conseguimos passar um corretivo no rosto para ofuscar as nossas olheiras de preocupação.
Aceite-se e também entenda o outro, perceba o que está abaixo da superfície, mascarando a verdadeira foma de quem somos. A realidade é apenas uma noção, mera ilusão. Procure ser autêntica com você e para os outros. Gentileza nunca é demais.

1 comentário

Arquivado em Divagações, Pessoal

Tolerância

99d26080e918843b472d2973b5c917cc
Você realmente não encontra a paz interior quando não se permite a estar presente única e exclusivamente na sua companhia apenas: é libertador sair sozinha, seja para almoçar, seja para ir ao cinema.

É libertador, mas cuidado: isto pode causar a fúria daqueles que não possuem tal coragem, ou ainda eles podem perceber que não são tão agradáveis, inclusive para a própria pessoa.  A inveja permanece um fator predominante em nossa sociedade, principalmente com as mulheres.
Apesar de estarmos vivendo em pleno Século XXI, infelizmente, há muitas mulheres que procuram puxar o tapete e tentar minar qualquer vestígio de autonomia e independência nas outras.
Juro que não entendo isso: sou da geração dos anos 80/90 que foi incentivada a desbravar tudo que desejasse fazer, abertamente expor os tabus e falar sobre tudo. Talvez seja por isso que não permitimos discriminação qualquer que seja e de igual modo, não permitimos sermos tratadas como objeto ou propriedade.
Nada assusta mais do que ser autêntico às suas origens, crenças e opiniões.
Já ouvi diversas vezes de outras mulheres  mais velhas e até de outras mais jovens do que eu, nos meus 30 anos: “você deveria pensar em uma carreira não tão visada”, “como você fará para manter uma casa e cuidar do marido?”.
Ora, a minha educação foi no sentido de que enquanto eu não transgrida as leis, mantenha a dignidade e o respeito com o próximo, é perfeitamente possível correr atrás dos seus objetivos por mais alto que possa parecer para uma “baixinha” de 1,595m (por favor, nunca desconsiderar os meus 0.005 m).
Você pode e deve lutar pelo que acredita. Se você quer muito algo, corra atrás, permita que o outro encontre seu caminho e seja feliz!

1 comentário

Arquivado em Divagações, Pessoal

Dicas rápidas de maquiagem: como fugir do olho borrado

11f6e8d8a721132dd2578dda60ee5948

Você usa todos os truques, mas ainda assim, depois de um tempo o seu lápis escorre e borra.
Um ótimo jeito para que o lápis embaixo do olho não fique borrado é passar por cima do lápis uma sombra de fato matte. Após, aplique um pó compacto em volta.

Deixe um comentário

Arquivado em Dicas, Maquiagem

Dicas rápidas de maquiagem: outros produtos que podem ser usados como primer

IMG_9976

Se você viajou e se esqueceu de colocar o primer na bolsa ou ainda se você não tem, hoje tem dicas de como usar outros produtos de maquiagem como primer. 
O corretivo aplicado ao redor dos lábios pode funcionar para que o batom não escorra pelos lados. Também é possível aplicar um corretivo iluminador para dar destaque. 
Além disso, o pó compacto (tem como função de retirar o óleo) pode ser aplicado nos cílios ajuda ao rímel durar e melhora o efeito do produto.

1 comentário

Arquivado em Dicas, Maquiagem

Comemoração: 05 anos de blog!

tumblr_ni44w9hfwj1tiz82vo1_1280

Sei que não entro tanto quanto eu e vocês gostariam, mas a verdade é que desde os meus estudos para concursos, alguns hábitos ficaram meio de lado. Jamais abandonarei totalmente aqui.
Há 05 anos atrás, o myspace saía do ar e me obrigaria a transferir para um blog no wordpress alguns textos escondidos que eu escrevia em forma de diário misturando a minha realidade com ficção.
Agradeço a todos vocês que participam deste espaço, em especial da minha incrível colabora Michelle por dividir as nossas ideias, bem como nossos pensamentos.
Tento manter atualizado o blog sempre que possível. Posso confessar a vocês que sinto muito a falta de estar mais atuante com os textos. É necessário digitar novos textos que estão devidamente anotados no meu caderno que deixo na cabeceira.
Muito obrigada a todos!
Bjks

giphy (2)

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

A geração de mulheres INAMORÁVEIS!

IMG_9712

*Espero que vocês gostem do texto abaixo gentilmente cedido pela Akasha Lincourt, originariamente publicado em Solteira Sinistra o qual foi indicado pela Michelle e uma leitora do blog intercedeu por se tratar da “mesma linha editorial do nosso blog” (realmente amei isso):

“Uma vez, em um bar, ela me disse: “Neste mundo existe pessoas inamorável, e eu sou uma delas”…
Aquilo me intrigou durante toda a noite, uma palavra fora do dicionário que ela usava para se descrever, e por que? A observei enquanto ela, tímida, finalizava mais um copo de cerveja. Eu estava com ela havia quatro horas, quatro horas onde conversamos sobre filosofia, arte, astrologia, cinema e viagens… Quando ela se dirigia ao garçom o bar inteiro parava para vê-la… Tinha seu carro, sua casa e era do tipo que não dependia de ninguém, então por que pensar assim? Teria ela se fechado?
Ela fez uma cara de entediada e me chamou para caminhar enquanto fumava um cigarro, até a saída sorriu e comprimento todo mundo com aquele jeito sapeca de menina do mundo…
Aquilo tudo era muito pequeno e raso para ela, conclui.
Na rua todos passavam apressados, ela se divertia com os animais abandonados, abaixou e entregou sua garrafa de água pró morador da rua, explicou o endereço de uma balada em alemão para um estrangeiro perdido que agradeceu com um sorriso, comprou chicletes de uma criança
E na minha cabeça só ecoava: inamorável.
Foram horas observando aquela garota, até não me aguentar e voltar no assunto… Eu queria entender melhor, eu queria uma definição como num dicionário. Então ela pegou minha mão e me puxou para um bar onde tocava uma banda de rock, ficou em silêncio por longos 30 minutos observando tudo até que disse:
– Olhe ao seu redor, estamos já a um tempo aqui. Durante esse tempo por nós passou uma garota chorando por que seu namorado terminou com ela ontem e hoje já está com outra, pois acredita que pessoas são substituíveis… naquela mesa tem 10 pessoas e elas não conversam entre si pois estão nos seus smartphones, talvez aquela garota de vermelho seja a mulher da vida do cara de azul, mas ele nunca saberá pois é orgulhoso demais para tentar. Veja o rapaz de pólo no bar, é o terceiro copo de martini que ele toma olhando pra loira tentando chamar a atenção do vocalista que fingirá que ela não existe por causa da ruiva e da morena que ele pega em dias alternados, e ele não pode ficar mal perante as outras.
Olhe ao seu redor, não fazemos parte disso, não somos rasos, realmente não fazemos parte disso, entramos sem celular na mão, esperando encontrar pessoas legais, com papos legais, com relações reais e voltamos para casa sozinhos, somos invisíveis num mundo de status onde as pessoas não vão te querer por que você mora longe, ou por que não gostam da sua cor de cabelo ou por que você não curte os beatles, acontece tudo tão rápido que as pessoas estão com preguiça de fazer o mínimo de esforço para conhecer realmente alguém e tudo é medido em likes. Eu passo por essa legião como um fantasma pois eles estão ocupados demais para ver quem está redor enquanto procuram alguém no tinder. E eu me importo? Não mais. Sou inamoravel por que não me importo com nada disso.. Nenhum desse status, não ,e importo em quanto tempo levo para conquistar a pessoa, se ela realmente vale a pena, não me importo se terei que atravessar a cidade para vê-la quando tiver saudades e não me importo se ela me presentear com um ingresso pra ir ver o show dos beatles por que é importante para ela mesmo eu detestando a banda. Por que eu sou assim, e se antes era o que procurávamos em alguém, hoje em dia somos considerados inamoráveis por manter o coração e a mente aberta.”
Naquele momento eu a entendi, e me apaixonei pelo mundo dela.”

Deixe um comentário

Arquivado em Citações