Arquivo da tag: Amizades

Reajustes no “gaydar”

Tenho algumas amigas (não citarei nomes) (teve amiga já se identificando como ré confessa, a.k.a Mi e dentre outras tantas amigas) que precisam calibrar o seu “gaydar” para identificar se ele é ou não.
Sempre tive muita facilidade nesta área visto que tenho três magníficos amigos de infâncias  homossexuais e outros tantos amigos atualmente que me ensinam muito.
Primeiramente, na sua maioria, eles são extrovertidos.
Eles são sinceros e espontâneos!
Adoro o vocabulário deles regado de “bapho!”, “me amarrota que estou passada!”, “me colore que estou bege!”, “beijo, me liga!” (sim caro leitor bombado este meme foi criado por eles), “edy”, “piroca”, “cacura”, entre muitos outros termos que costumo usar também por considerá-los divertidíssimos!
Não tem nada melhor do que sair com eles: sempre sabem dos lugares descontraídos que tocam as melhores músicas “para se acabar na pista”, antes de que  fique infestado pelos “hipsters”.
Abra o olho se ele conhece cada personagem de SATC (Sex and The City), em especial, o Mr. Big.
Ele troca de namoradas a cada três-seis meses. Detalhe: elas sempre estão na mesma faixa etária e se queimam de roda em roda, mas sair do armário que é bom nada (queridos vocês não enganam ninguém!). Dê espaço (como qualquer homem) para um dia que ele se sentir confortável para abrir o jogo.
Desconfie se ele faz a sobrancelha, nenhum HT passa mais do que vinte minutos no barbeiro e não cabeleireiro. Só uma mulher para entender a dor de expurgar pêlos! Puro sofrimento!
A suspeita do sinal apita quando ele não só assiste as premiações, como também acompanha o red carpet no E!, descrevendo com detalhes as roupas, as maquiagens e os penteados (minha timeline fica empolvorosa com os comentários dos fashionistas de uma verdadeira decisão do jogo final de Copa do Mundo). Provavelmente, ele lhe identificará as marcas e seus correspondentes estilistas. Aliás, ele não perde  um desfile internacional!
Agora, o mais importante de tudo é que nenhum HT dança e rebola tão sexy quanto o Ricky Martin (nessa hora seu “gaydar” apita, berra, quica e solta fogos de artifícios).
São os fatos infelizes da vida feminina heterossexual.

N.A: HT significa heterossexual.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Sem categoria

Aviso aos navegantes: minha confissão

Estes dias sonhei com o fato e hoje até minha mãe se lembrou do ocorrido.

Por muito tempo, sofri com bullying, aliás mais de uma vez, por algumas pessoas infelizes que não eram satisfeitas com suas vidas e queriam me magoar por puro recalque, hoje eu sei.
Naquela época era muito sofrimento. Posso lhes garantir que como garota do rímel borrado, eu sofri, mas desde sempre me defendi e me vingava com planos mirabolantes infalíveis.
A primeira vez que sofri bullying, tinha uma menina no colégio onde estudava que vivia implicando comigo (por ser o oposto dela: baixinha, bem magricela e com um  cabelão bem longo, pois queria ser Paquita da Xuxa quando crescesse – quem nunca?!). 
Um belo dia, o ser resolveu mascar aqueles chicletes xexelentos de metro que a gente comprava no Paraguai e colocou uma bolona no meu cabelo na altura do meu pescoço. O resultado deste infortúnio foi cortar meu cabelo tipo chanel bem curtinho. Depois deste episódio, meu cabelo nunca mais foi o mesmo: escureceu de vez e armou de um jeito que só deixando-o cacheado dava “uma arrumada”.
Já deixei bem claro em textos anteriores que detesto o papel de vítima.
Sabem o que eu fiz?
Paguei na mesma moeda àquela agressora: pedi que a minha mãe me comprasse o mesmo chiclete xexelento de metro do Paraguai e também fiz uma bola, até maior do que a dela, e coloquei estrategicamente na altura da orelha. Ela teve que repicá-lo todo para tirar o maldito chiclete.

Ah, aproveitando o embalo das confissões das minhas vinganças também dedico este post àquela criatura que me julgou pejorativamente e tentava sempre me por para baixo no Colégio Universitário.

Algumas vezes, você até conseguiu que eu chorasse um pouco, mas quem saiu por cima fui eu quando dei aquela festa de final de ano na qual convidei todo mundo, exceto você.
Óbvio que você desempenhou o papel de vítima sofredora por não entender o motivo do meu disparate em não convidá-la. Solicitou até que um amigo interviesse em seu favor, dizendo que estava sofrendo.
Óbvio que respondi que de jeito nenhum te chamaria por tudo que você tinha me feito (lembra como você duvidou da loja onde tinha comprado o meu casaco de couro, no dia posterior ao seu aniversário – que aliás só tinham 7 pessoas, você foi até a loja Z do Catuaí, só para ver quanto eu pago nele e queria que eu confessasse que era da Americanas?!).
Pois então, na minha festa de final de ano: teve até penetras! Toma esta (não poderia de deixar registrado meu escárnio)!
Estes tempos, esbarrei com você e querida, posso lhe garantir que continuo bem melhor do que você anda bem descuidada, viu: mesmo após tantos anos ainda aparento ser mais nova! 

Sempre me defendi sozinha das atrocidades cometidas contra mim. Sou bem resolvida neste sentido. Detesto injustiças. Sou ótima para vinganças e não, não me arrependo de fazer sofrer quem me quis fazer tanto mal. Aqui se faz, aqui se paga.

Com o passar do tempo, amadureci e a vida me ensinou que o pior castigo a quem tenta de forma ineficaz te fazer o mal e desejar a sua queda é manter-se bem longe dela, evitando qualquer contato com o malgrado é o silêncio. Nada mais o perturba do que não saber te tirar do sério.
Assim, mantenho o meu bom humor e tiro sarro destes acontecimentos indesejáveis decorridos.

Encerro com aviso aos navegantes: não tentem provocar o meu mal, pois as Amandas tem uma ira e uma criatividade voraz para rebater com determinação o mal causado a elas, vejam o belo exemplo de Amanda Clarke!

Deixe um comentário

Arquivado em Cultura e Entretenimento, Divagações

Lição a ensinar

Sempre ouvi que devemos ensinar o que aprendemos.
Eu aprendi a duras penas, com muito rímel borrado e coração despedaçado que: “A gente tem que aprender a escutar o coração. Para quem não sabe, a hora certa nunca existe” (Clarissa Corrêa).

Este foi um tema recorrente durante a semana Carnaval, principalmente após o término. 
Repeti a minha lição iniciante de que “o interessado dá um jeito” a algumas pessoas incrédulas, batendo as suas cabeças na parede por insistirem em alguém que não as merece, seja por falta de tempo (atenção), seja por menosprezo.
Tem algum de profundo e sincero em nosso coração que te sussurra a abandonar algo/alguém que não te faz bem, só te faz sofrer.
Igualmente, não adianta que alguém aja  ou fale de acordo com o que você deseja.
Se você der o poder a outro pela capacidade de sua felicidade, você nunca será plena e completa. Sempre viverá inacabada e infeliz. Não se deixe de lado, abandonar amigos e momentos de lazer por alguém ao ponto de se anular também.
Não há como controlar outros, já é difícil ter algum controle sobre nossa própria vida, imagina tentar ineficientemente com a vida de terceiros.
Nem preciso dizer o quanto isto está fadado ao insucesso.
Tenho visto muita gente procurar nos lugares errados pela “pessoa certa”. Para mim, “pessoa certa” é aquela que está com você naquele momento. 
Não se pode querer encontrar alguém enquanto não se muda velhos  hábitos de desvalorização pessoal.
Deve-se apreciar o seu valor: evitar pessoas que te fazem mal ou negativas/pessimistas (cuidado: estas podem contaminar o seu estado de espírito).
Por muito tempo, insisti em padrões e amizades, especialmente, que não me sentia confortável e seriamente comprometida com minha vida. Não obstante, apenas com o amadurecimento conheci gente incrível e resgatei o que me dá prazer.
É justamente nestas horas de lucidez clarividente que alguém tão bacana apareceu. Se deu certo ou não, só o tempo dirá.
No entanto, posso lhes garantir que nada muito fácil, desprovido de esforço, pode durar.
Tudo tem o seu tempo, não procure apressar nada, sob pena de ocorrerem desastres. 
Quando você está bem, focada no que lhe é importante, ele chega de mansinho, sem avisar e por lá fica até enquanto for necessário. Tudo é muito simples e tranquilo, pois você conhece de plano os seus medos e as suas falhas, expondo-as e solicitando compreensão para superá-los. Ele te ajuda, mostra o quanto se importa, por exemplo, quando você teve um péssimo dia, te liga no dia seguinte só para saber como você está, se conseguiu resolveu. Só lhe te dá um conselho quando você o solicita, não te julga ou ainda faz joguinhos para te magoar.
A vida é um ciclo. Tudo que vai, volta. Sempre reflito sobre o que me acontece para tentar me compreender e afastar os mesmos erros para que quando ele chegar novamente, eu esteja preparada para embarcar neste relacionamento do zero. Acreditem em mim, outras garotas de rímels borrados por aí, um hora quando você menos suspeitar, ele chega e você era feliz antes da sua vinda. Esta é a minha lição a ensinar, se bem que às vezes, posso me esquecer também e duvidar. Porém, nunca abro mão da esperança do seu aparecimento.
 

Deixe um comentário

Arquivado em Divagações, Pessoal

Febre de concurseira = inscrições abertas!

Texto publicado ontem no Twitter da @mi_mentz (Michelle de M. Gomes), igualmente foi postado no Facebook que por conta do humor e da redação tão eloquente, solicitei permissão da autora para que também fosse publicado para a posteridade!

Somente os concurseiros e os demais membros do mundo jurídico entenderão os termos utilizados pela sua escritora.

Leiam atentamente e divirtam-se com o texto sobre aprovação e nomeação ao cargo de namorado:

 

Edital nº 01/2012
Eu, Michelle, no uso de minhas atribuições, venho tornar público o Edital nº 01/2012 para Seleção de nova pessoa p/ a qual destinarei minhas preocupações:

1. Número de vagas, características do cargo e cadastro de reserva:

1.1 Número de vagas e descrição do cargo: O presente edital rege especificamente sobre a abertura de 1 (uma) vaga para o cargo descrito. Visto o caráter de cargo de confiança, o horário de trabalho é integral, porém sem escala pré-fixada, incluindo a necessidade de disponibilidade no período noturno, aos finais de semana e feriados, bem como para viagens. O namorado será responsável por atividades afetivas, de entretenimento, relações públicas, aconselhamento psicológico, cuidados básicos e atenção à saúde da namorada. O namorado deverá estabelecer vínculo único e irrestrito com a Presidente do edital, sendo que estará sujeito a repreensões e punições quando do não cumprimento desta cláusula de exclusividade.

1.2 Requisitos mínimos exigidos para o cargo – todos indispensáveis: Ser um homem verdadeiramente Cristão, ser solteiro, de qualquer nacionalidade, com escolaridade mínima de curso superior ou que ao menos esteja cursando (pensando em cursar, não será aceito). Beleza reconhecida pelo senso comum – não basta ser um rostinho bonito; tem que ter muita cuca no lance.

2. Do processo seletivo:

2.1 Das inscrições: As inscrições serão realizadas através de email: sevcnaosabe@menorestuaschances.com.br
Somente serão aceitas inscrições com fotos anexas e ficha de inscrição (favor solicitar à Presidente em caso de interesse) devidamente preenchida. Os candidatos se responsabilizam pela veracidade das informações prestadas, pelo esclarecimento das mesmas quando solicitado e as devidas penalidades frente às autoridades competentes quando da não veracidade das informações e não cumprimento dos quesitos referentes a este edital. O período de inscrições se estende entre os dias 25/02/2012 às 00 horas (horário oficial de Brasília) e 29/02/2012 às 23:59. Não serão aceitas quaisquer justificativas quanto a problemas na realização das inscrições. Não serão aceitas inscrições por procuração ou recursos para recorrer do resultado de quaisquer das etapas deste processo seletivo ou de seu resultado final.

2.2 Das etapas do processo seletivo:

2.2.1 Das especificidades de cada etapa e dos quesitos de aprovação nas mesmas: As etapas deste processo consistem em: a) avaliação da ficha de inscrição; b) teste psicológico; c) prova escrita e oral; d) teste de paciência. Todas as etapas possuem igual valor. A pontuação final será uma somatória de cada etapa individual.Será aprovado o candidato que obtiver o maior número de pontos totais e aproveitamento superior a 75% em todas as etapas.

2.2.2 Critérios de desempate: Caso ocorra empate no resultado final, o desempate considerará o desempenho nos seguintes critérios:
a) Sabe cozinhar; b) Agradou a família da futura namorada; c) Qualificação profissional avançada; d) Idade; e) Passou no teste de paciência com maior nota.

3. Divulgação dos resultados e validade do concurso: A divulgação dos resultados será feita até 31/03/2012 às 23 h (horário oficial de BSB) neste local e/ou no facebook (se vc não sabe o endereço terá menos chances ainda). Este concurso tem validade de 12 meses a partir da data de publicação do resultado, sendo possível sua prorrogação por mais 12 meses. Devido à possível prorrogação da validade deste concurso, os demais candidatos aprovados nas etapas anteriores formarão cadastro de reserva para eventual abertura futura de vaga.

4. Das disposições finas:

4.1. Não poderá implicar com o time da namorada no dia seguinte ao jogo – basta no dia e pronto;

4.2. Candidatos das demais religiões/credos terão seus currículos analisados.

Ponta Grossa, 24/02/2012

Deixe um comentário

Arquivado em Contos, Cultura e Entretenimento, Romance

O prazer do “block”

45451_549214348474854_2099354237_nDedico este texto aos twitteiros (só vocês entenderão, provavelmente):

Mais uma vez, mais uma janelinha no msn/DM/tweet/inbox/e-mail/depoimento fake  abre-se. É alguém desesperado procurando um ombro amigo para despachar todo o sofrimento de uma relação.
Para contar que finalmente tomou vergonha na cara, cansou de sofrer por sofrer, evitando esbarra desavidamente com esta pessoa por aí, em especial quando o fim não foi tão amigável assim: você deletou-a totalmente do meio cibernético, até conseguir a proeza de não encontrá-la nos resultados de busca em sites de pesquisa.
Maravilhas do mundo moderno: você não vê absolutamente nada do que é publicado com o intuito de  provocar, futriquinhas (como eu detesto esta infantilidade toda: sou partidária da sinceridade, de dizer o que se pensa, ficar próxima de quem você quer bem).
Talvez, este é o prazer de todos é quando você clica o seu botão do “block” e deleta aquela pessoa. Não tem nada pior do que o desprezo de parar de se importar com alguém. Doi lembrar o quanto quem era especial, você agora nutre mais afeto a uma parede que te afasta permanentemente dela.
Tudo é particularmente bizarro quando num belo dia, que você teve tempo, se arrumou impecavelmente, recebeu um maravilhoso elogio de quem lhe quer o melhor, está radiante num lugar completamente aleatório esbarra nela e por educação pergunta como está, ouvindo como resposta um “nada bem/me arrependi e te quero de volta/você está mudada, diferente”, te indagando o que te aconteceu, por sua vez, dá apenas um sorriso de quem é solidário com o péssimo momento, diz que está tudo ótimo e se despede.
Ao passar por ela, por uma questão de deslumbramento, te vê ir embora enquanto você pensa o quê você tinha na cabeça em querer alguém assim. Daí, lembra-se e agradece a si própria por ter dado “block” nela.
Era o deleite de um simples prazer do “block”.


Deixe um comentário

Arquivado em Contos, Romance

Paz para o meu coração

tumblr_moe0q1JkNd1qc7e5jo1_500
Libertei-me. Não há melhor expressão para descrever este momento.
Encontrei paz para o meu coração. Finalmente, o meu coração tocou minha mente quando entendeu o seu recado de ser livre e plena sem você.
Chega desta corrida insana na qual vivíamos em um círculo vicioso. Não somos mais amigos como antigamente. Não me arrependo de ter cruzado esta fronteira, pois sabíamos perfeitamente sobre os riscos. No entanto, nunca poderíamos supor que as adversidades e as nossas falhas nos separariam por definitivo.
Também, nunca acreditaria que um dia estaríamos tão diferentes e em lados opostos. Hoje, enquanto você prefere o agito e a badalação de uma vida praiana em um eterno verão. Do outro lado, eu prefiro a calmaria da sensação de um outono em pleno silêncio em uma casa no campo em contato com a natureza, bem como possa ouvir o belo canto de um pássaro.
Sinto-me completamente à  vontade para pontuar o final desta relação, escrevendo carinhosamente sobre o que ocorreu. 

Deixe um comentário

Arquivado em Contos, Divagações, Romance

Homem chiclete e correlatos

stephen-james-by-nico-for-el-pac3ads-5
Ultimamente, sou o poço de desabafo de amigas (inúmeras, por sinal) reclamando do homem chiclete.
Para quem não sabe, o homem chiclete é aquele que você mal começa a se relacionar, já te chama de “amorzinho” (sério que idade ele tem mesmo? 03 anos?!), “baby”, xuxu e por aí vai, em menos de 01 mês. Isso mesmo, você leu: MENOS DE 01 MÊS!!!
Nem vou comentar o fato da “pira” deles em relacionamentos sérios como namoros e afins.
Por favor, caro amigo leitor, se você se relaciona com uma mulher completamente independente, respeitem o espaço físico corporal que a mesma ocupa no mundo (não entendeu?! Simples: “cada um no seu quadrado!”).
Deixe os beijos e abraços para momentos apropriados.
Evite ser um dengo infantilizado em pessoa, pois o efeito é broxante, com a contra-indicação de afastamento súbito.
Agora, reconheço que as mulheres por muito tempo e algumas ainda, infelizmente, vivem numa neurose constante de perseguições, em especial, virtual ou até chegam a minar o espaço físico corporal do parceiro. Cortando os laços deles com os amigos, vedando  a sua participação no jogo de pôquer, privando a sua presença no bar em dias de jogo e sequer dão permissão aos mesmos para frequentar o precioso jogo de futebol com os amigos.
Onde vamos parar com isso?
Sufocar não é o método ideal para manter o encanto em uma relação, solicito um pouco de bom senso a ambos os lados ao permitir a respiração do outro. É imprescindível e inerente a sobrevivência de todos!  

 

Deixe um comentário

Arquivado em Contos, Romance, Saúde e bem-estar, Vícios