Arquivo do mês: dezembro 2016

Sem amanhã

E se você acordasse hoje sabendo que seria seu último dia na Terra? Se você acordasse hoje sabendo que seria seu último dia, teria vivido tudo o que pode viver, da melhor maneira possível? Pensaria mais em arrependimentos ou em orgulhos? Poderia cantar My Way, do Frank Sinatra, a plenos pulmões ou escolheria uma daquelas músicas que falam de dor de uma vida sempre deixada para depois e pensaria que “se eu tivesse só mais um dia.”.

from-the-hill-no-tomorrow_1000

Nós vivemos no conforto do amanhã. Nós vivemos no conforto do “amanhã será melhor que o ontem” e mesmo que não seja, vamos de amanhã em amanhã, muitas vezes ignorando o que realmente fazemos no hoje, numa tentativa tresloucada de tentar entender como a vida que de tão preciosa passa a coadjuvante do medo. Vivemos a antítese do “amanhã melhor” e do hoje incompleto. Esperando situações ideais, esperando primeiros passos, esperando, esperando, esperando… e se a espera for interrompida abruptamente? E se o legado deixado for apenas a saudade de tudo que você ainda não viu?

Quando ficamos diante de uma grande perda, de desconhecidos que pareciam da nossa família, de amigos distantes mas presentes no dia a dia, mergulhamos dentro de nós em emoções turvas, em desencontros, em descompassos, em esperanças de que as situações se consertem e que você veja sua vida dando certo. Afortunados somos todos os dias por acordarmos sem exatamente sabermos quando teremos o nosso último amanhã. Afortunados somos por podermos mudar o que precisa ser mudado, enquanto há tempo. Tudo o que temos é o hoje. E nunca foi tão latente o clichê “o amanhã pode nem chegar”. E se ele não chegar, você teria dito que ama quem você ama? Você estaria ao lado de quem você realmente queria estar? Você teria perdoado quem precisa perdoar? Teria perdoado a você mesmo? Você teria feito POR VOCÊ algo que te deixaria orgulhoso se você soubesse que daqui 10 anos estaria aqui ainda?

De tanto medo da vida, deixamos de viver. De tanto medo da vida, deixamos que o amanhã carregue no ventre a felicidade que já deveria ter nascido hoje. Dá a impressão de que no dia 31 de dezembro, quando der 00h e percebemos que estamos vivos, só conseguiremos dizer OBRIGADO. Tem sido um ano extremamente difícil. Perdas enormes, catástrofes mundiais, dificuldades financeiras. Se sabe o valor da sua vida, agradece! Agradeça o fato de estar vivo. Agradeça poder dizer EU TE AMO, e diga, sempre, sempre que possível. Reconheça quem está sempre do teu lado. Não dependa só de uma tragédia para lembrar de ligar para os seus familiares e amigos. Não espere irem embora, para sempre ou para longe, para perceber que devia ter perdoado quem precisava de perdão ou ter deixado ir quem já não cabe mais no lugar em que ocupa. Ou se permitir ir quando o que você é não condiz com o que você quer ser, quando o que você tem não condiz com o que você quer ter.

Todos nós, independente da fé que professemos, se professarmos alguma, somos finitos. Honremos a nossa vida. Coragem, a gente precisa viver! Não existe hora certa para amar. Não existe hora certa para perdoar. Não existe hora certa para deixar saber que alguém é importante. Vamos de uma vez por todas enfiar na nossa cabeça que a vida é urgente e que o depois pode ser tarde demais. Não deixemos a vida para depois! Estejam com quem amam. Façam felizes essas pessoas. Respeitem a vida, ela é sagrada. E vivam, por favor, vivam. Não percam tempo com medo.

A vida é sobre ter memória curta e coração gigante. Amar o instante e respirar bem fundo para o amor também invadir o seu ser. É dar mais um passo mesmo sem saber o que te aguarda e é confiar que quando alguém te diz que vai conseguir, a pessoa vai, e você fica do lado para ver acontecer, para aplaudir ou para enxugar as lágrimas que rolarem pelo rosto. Mesmo que nada faça muito sentido, o importante é ir, com medo mesmo, atrás do que te completa. Atrás do que te faz feliz.

Certa vez, já faz algum tempo, cruzei com um texto que dizia o seguinte em uma das suas partes:

“(…) olhe pelo para-brisas e não pelo espelho retrovisor. Mire o alvo, foque. Não se deixe ser levado em sua própria vida, faça você o seu caminho, encare. Ninguém nunca morreu de amor, nem de decepção, mas o que sempre se percebe é que há entusiasmo em quem fala “foi bom”, “errei mas aprendi”, “valeu a experiência”, “pelo menos vivi algo novo”, “apesar de não ter dado certo eu posso dizer que tentei”, mas quando se houve o outro lado é sempre um ar de desânimo, descontentamento com os “porque eu não fui? ”, “será que teria dado certo? ”, “por que demorei tanto? ”, “e se…? ”, sempre essa dúvida cruel. Você tem a opção de escolher tentar ou escolher lamentar. Você não tem dúvida, você tem medo, mas com o medo é que surge a oportunidade de colocar em ação a coragem. Talvez não para eliminar o medo, mas para ir com medo mesmo!

Não fique no cruzamento dessa estrada que é a vida, muito menos pare no acostamento. No máximo uma rápida parada em um posto de gasolina para reabastecer, pegar fôlego, respirar fundo, e voltar para a estrada com disposição, com ânimo e CORAGEM! ”

Se você acordasse hoje sabendo que não teria amanhã, você estaria na direção da sua vida ou ainda sentado no sofá desejando sentir o vento no seu rosto enquanto dirige na estrada que te leva a conquistar o que você mais quer? Não desista de você mesmo. Eu te garanto, vai valer a pena.

Você merece mais. Se permita mais. Se permita viver a vida que você sabe que merece ou que você descobriu no meio do caminho que merece. E se permita estar com alguém que reconheça em você boa parte do “se eu não tivesse amanhã, hoje eu estaria completo”.

Amanhã eu vou revelar
Depois eu penso em aprender
Daqui a uns dias eu vou dizer
O que me faz querer gritar

No mês que vem tudo vai melhorar
Só mais alguns anos e o mundo vai mudar
Ainda temos tempo até tudo explodir
Quem sabe quanto vai durar

Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar
Não deixe nada pra semana que vem
Porque semana que vem pode nem chegar
Pra depois, o tempo passar
Não deixe nada pra semana que vem
Porque semana que vem pode nem chegar

A partir de amanhã eu vou discutir
Da próxima vez eu vou questionar
Na segunda eu começo a agir
Só mais duas horas pra eu decidir

Esse pode ser o último dia de nossas vidas
última chance de fazer tudo ter valido a pena
Diga sempre tudo que precisa dizer
Arrisque mais, pra não se arrepender
Nós não temos todo o tempo do mundo
E esse mundo já faz muito tempo
O futuro é o presente e o presente já passou
O futuro é o presente e o presente já passou

Nada pra depois, não deixe o tempo passar,
Não deixe nada pra semana que vem,
Porque semana que vem pode nem chegar
Pra depois o tempo passar,
Não deixe nada pra semana que vem,
Porque semana que vem pode nem chegar!

 

 

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Divagações, Pessoal, Saúde e bem-estar, Sem categoria